1 2 3 4 5 6 7
theme by sociedadeemdeclinio
Garota complicada essa hein, ninguém a definia. As vezes tão menina, outras vezes tão mulher. Madura o suficiente para falar, e imatura a ponto de não querer ouvir. Agia como adulto, mas chorava feito criança. Se enchia de esperanças e se debruçava em seus sonhos, mas tinha lá suas decepções. Gigante por dentro e tão pequenina por fora. Mente de uma mulher de 30, coração de uma adolescente de 15 e sensibilidade de uma criança de 5. Eita garota maluca, mas ela até que gostava de ser assim, ela tinha motivos para ser assim.
Um Quase Diário
É tudo real nas minhas mentiras♫

Posted 1 week ago with 27,254 notes · reblog this shit
originally 0800-putaria via orientadda


Posted 1 week ago with 42,414 notes · reblog this shit
originally c-isnenegro via grit0s


Posted 1 week ago with 38,573 notes · reblog this shit
originally carlotaaac via likea-angel


Posted 1 week ago with 25,807 notes · reblog this shit
originally sitxlys via nth-is-bychance


Posted 9 months ago with 13,202 notes · reblog this shit
originally diabeisso via foreveraloone

  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano está digitando...
  • Fulano diz: rs

Posted 9 months ago with 39,513 notes · reblog this shit
originally not1ficat1ion via diario-de-uma-garota-gorda


Posted 10 months ago with 115,367 notes · reblog this shit
originally assobio via orientadda


Posted 11 months ago with 61,089 notes · reblog this shit
originally witchmorrigan via dreamerbaka


Posted 12 months ago with 678,632 notes · reblog this shit
originally pbsparents via meninodosteussonhos

‎”É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chopp é gelado. É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nas festas agendadas no calendário, quando se vê de vez em quando. Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E perde o charme. O prazo. A identidade. A coerência. O rebolado. Nessas horas é que se vê o verdadeiro amor, aquele que é companheiro, que quer o bem acima de qualquer coisa. E é esse o amor que dura para sempre. Na verdade, este é o único que pode ser chamado de AMOR!”